Quase 20% dos empregos gerados no Brasil, entre 2017 e 2018, partiram do agronegócio. De acordo com dados divulgados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), no período a população ocupada no setor foi de 18,20 milhões de pessoas. Uma força para a economia brasileira.

Agência Brasil
Tendência é de elevação na mão de obra no agronegócio

O Cepea avaliou a mão de obra do agronegócio e constatou que a tendência é de elevação no número de empregados sem carteira assinada. Este cenário já tem sido observado em anos anteriores. Trabalhadores do campo que hoje estão nesta condição somam 3,12 milhões. Cabe ressaltar que, após a aprovação da Reforma Trabalhista, esta tendência também é observada em outros setores da economia como Serviços e Indústria.

Sobre rendimentos, o Cepea constatou que a média salarial avançou entre 2017 e 2018. No ano passado, os valores foram de R$ 1.759,14 para empregados e outros (com alta de 10,92% em relação ao início da série), de R$ 5.567,49 para empregadores (alta de 1,43%) e de R$ 1.263,44 para trabalhadores atuando por conta própria (elevação de 7,54%).

 

 Leia também: Agronegócio e o meio ambiente. Um jogo a ser jogado

Deixe um comentário

avatar
Fechar Menu