A proposta de Reforma da Previdência é uma realidade. A depender de como ela seja aprovada pelo Congresso Nacional, como ficará o produtor rural e sua aposentadoria? Importante tratar do tema e esclarecer o que está ocorrendo em Brasília.

A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), composta por deputados e senadores defensores do agronegócio, tem se debruçado sobre o texto enviado pelo presidente Jair Bolsonaro ao Poder Legislativo. Pela proposta, a idade mínima para se pedir aposentadoria rural para homens continua sendo de 60 anos. Já para mulheres, que hoje podem se aposentar com 55 anos, o governo quer aumentar também para 60 anos.

O vice-presidente da FPA, deputado federal Sérgio Souza (MDB-PR), afirmou, em entrevistado ao Globo Rural, que a preocupação maior é em tratar os diferentes de forma diferente. “Vocês acham justo que uma mulher que levanta cedo, vai pra roça, pilota trator, tem jornada tripla no campo seja tratada como uma mulher que trabalha na cidade, em ambiente com ar-condicionado? Se colocarmos lado a lado duas mulheres de 50 anos, uma do campo e uma da cidade, vamos perceber uma aparência física bem diferente”, avaliou o deputado paranaense.

Veja a reportagem do Globo Rural

>> Leia também: Agronegócio e o meio ambiente. Um jogo a ser jogado

 

Deixe um comentário

avatar
Fechar Menu