Crédito da foto: Governo do BrasilA guerra comercial entre EUA e China vai elevar a quantidade de exportação da soja brasileira, um dos pilares do setor agroindustrial do país, após decisão dos chineses em aumentar a taxa de produtos norte-americanos.

Segundo especialistas, as recentes elevações nas taxas de produtos dos EUA para a China, e vice versa, aumentam o preço do farelo de soja. Isso acontece porque os chineses têm planos de substituir, por exemplo, a semente norte-americana, pela paraguaia, boliviana e brasileira.

Com isso, os prêmios nos portos de soja do Brasil – quanto o mercado está disposto a pagar a mais para ter o produto brasileiro – atingiram o maior valor, sendo US$ 1,80 por bushel nos valores do contrato de maio na Bolsa de Chicago.

Conforme pesquisa diária de preços da AgRural, empresa que presta assessoria em comercialização de soja e milho, o reflexo de cenário aponta que a soja saca de soja, em período de safra, se mantém R$ 75 em Cascavel, no Paraná, por exemplo.

A expectativa para este ano era de que a quantidade de soja exportada fosse de 70 milhões de toneladas. Com a disputa comercial entre os dois países, o número deve ser superior a 74 milhões.

Isso porque o Brasil é o único país com recursos disponíveis para aumentar a produção de soja sem dificuldades. Até o fim de 2018 serão produzidas 6 milhões de toneladas a mais do que 2017.

Deixe um comentário

avatar
Fechar Menu